quarta-feira, 11 de novembro de 2009


Eu tenho 30 anos e ainda não sei se acredito em destino ou coincidência. No geral, meu conceito é que destino é romântico e que a coincidência é técnica. Acreditar em destino é achar que alguma coisa mágica estava traçada quando você nasceu exatamente naquela cidade, estudou exatamente naquela escola, conheceu exatamente aquelas pessoas, fez tal faculdade, foi trabalhar em tal emprego, namorou tal pessoa. Já a coincidência é você analisar friamente todos estes acontecimentos e pensar que tudo podia ter sido diferente, mas não foi, e que os lugares e as pessoas apareceram na sua vida por força da ocasião, mas sem nenhum sentido especifico, só mera coincidência. Encontrar a mesma pessoa vários dias seguidos no elevador, será coincidência ou destino? Teu filho começar a namorar a filha daquele cara que você era apaixonada na escola, coincidência ou destino? Ser contratada pra ser chefe daquela pessoa que há anos te humilhou como estagiária, coincidência ou destino? Conseguir comprar passagem na promoção relâmpago da Gol justamente para o lugar que você sonha e nos únicos quatro dias do ano que você pode viajar, coincidência ou destino? Não sei. Eu realmente fico tão confusa entre um e outro que eu prefiro acreditar que eu sou, simplesmente, uma pessoa de muita, muita sorte. Sorte de ter nascido onde nasci, ter conhecido quem conheci, ter escolhido uma profissão apaixonante e ter ido naquela festa, aquele dia, de um aniversariante desconhecido e ter encontrado aquela pessoa. Se tudo o que eu vivi até hoje foi obra do destino ou pura coincidência, eu to pra saber. Mas uma coisa eu sei, eu não mudaria nada, nadinha, porque eu tive muita sorte nas coincidências do meu destino.

3 comentários:

Elisabete disse...

Que lindo amiga....Estás inspiradissima heim?
Bjksss

luidias disse...

ahhh, o que seria de nós sem as coincidências do destino?
Quanto tempo faz mesmo que o destino coincidentemente traçou nossa amizade heim, heim??
Beijos!!

Lili disse...

Carmela!! Atualize "djá"!!! :)